sábado, 30 de julho de 2016

Desempenho das indicações em julho/2016

No mês de julho nossa carteira rendeu 6,98%, contra 5,97% do IFIX. Destaque para XPCM11 que subiu 17,9%. Foi mais um mês de recuperação dos IFIX, especialmente daqueles que estão sofrendo com vacância ou inadimplência, como EDGA11B( 19,3%), XTED11(9,33%), SDIL11(11,9%), FPAB11(10,8%), EURO11(11,5%), entre outros. Esse comportamento pode indicar busca por “pechinchas”, numa crença que a crise econômica está se encerrando e esses fundos podem voltar a ser rentáveis. Faz parte do jogo tentar antecipar movimentos, mas o blog não adota indicações baseadas em compra de vacância.

XPCM11: alta de 17,9%, confirmando tudo o que dissemos sobre esse fundo. E mesmo com toda essa alta, continua sendo um dos melhores DYs do mercado. Da mínima em janeiro/16 até agora foi uma elevação de 41,6% no valor das cotas;

XPGA11: alta de 7,2%, ainda com um grande desconto em relação ao valor patrimonial. Os CRIs com problemas estão plenamente precificados, fato comprovado pelo DY de 1,01% ao mês;

CTXT11: alta de 2,5%, fundo de risco moderado, com baixa vacância, não entrou na lista das “pechinchas” apesar de continuar sendo a grande “pechincha” do segmento;

CPTS11B: alta de 0,3%. Aqui vale um pouco a irracionalidade do mercado no curto prazo. Pagando 15,6% ao ano em proventos, com baixo risco, é inexplicável um desempenho tão fraco. Mas não é a primeira vez que o mercado ignora no curto prazo um excepcional fundo.

3 comentários:

Andre Rockenbach disse...

Show!

Me dei bem com:

FII BPFF11
FII BRCR11
FII RBRD11
FII XPCM11

Todos com bom desempenho.

No aguardo das indicações para agosto!

Abraços!

Blog Viver de Construção disse...

Este mes tivemos uma alta excelente.

Tambem continuo comprado em CPTS e nao entendi o motivo da cota permanecer estavel.

O que ajuda a comprar ela pagando menos.

Abraco

Paulo Vieira disse...

Existe um fundo de papel chamado PORD, cujos os proventos são pagos semestralmente. Então, se vc quer ganhar dinheiro com ele, basta comprar no mês que ele fica ex-rendimentos. Pois bem, nesse mês, junho, ele era negociado a R$ 92. Depois que ficou ex (sem direito aos proventos), subiu para R$ 102. Qual a lógica? Deveria ser exatamente o contrário, deveria valor R$ 102 na vespera e depois cair para R$ 92, pois os proventos foram de R$ 9. Quem compra agora, só verá os proventos novamento daqui a 6 meses, e provavelmente com um valor menor.
Por que estou dando este exemplo: para nossa sorte, o mercado nem sempre age de forma racional. Hoje pesa muito os comentários e indicações de grandes sites. CPTS, para nossa sorte, está esquecido, não foi lembrado por ninguém, para nossa sorte.